Eduardo e Mônica – 20 anos depois



Quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?

Eduardo abriu os olhos, mas não quis se levantar
Ficou deitado e viu que horas eram
Enquanto Mônica olhava o botox
Lá no seu apartamento
Como eles disseram…

Eduardo e Mônica um dia se enjoaram sem querer
E conversaram muito mesmo pra tentar se convencer
Foi o amigo advogado do Eduardo que disse:
- Tem um artigo legal e a gente pode lançar mão
Coisa estranha, que lei mais esquisita
- Se não for legal, só assino com birita
O amigo então riu e quis saber um pouco mais
Sobre o divórcio que tentava efetivar
E o Eduardo, meio tonto, só pensava em sair fora
- Dá essa porra, vamo homologar!

Eduardo e Mônica foram parar no Fórum
Na frente do juiz, decidiram se largar
O Eduardo sugeriu uma pensão
Mas a Mônica ouviu e começou a gargalhar
Se encontraram então no parque da cidade
A Mônica de moto e o Eduardo num carrão
O Eduardo achou estranho e melhor não comentar
Mas a patroa tinha um berro na mão

Eduardo e Mônica eram nada parecidos
Ela era de Leão e ele tinha trinta e seis
Ela com consultório próprio e falando alemão
E ele ainda sem saber falar inglês
Ela gostava do Leminski e os cambaus
De Van Gogh e dos Strokes
Chico César e Sinhô
E o Eduardo gostava de puteiro
Do Bahamas, Love Story e até Café Photo

Ela fazia análise transacional
Também pilates e musculação
E o Eduardo ainda estava
No esquema "trabalho, boteco, casa e o futebolzão"

Por isso, com tudo diferente,
Veio mesmo, de repente,
Uma vontade de morrer
Os dois mal se viam todo o dia
E o perrengue crescia
Era difícil crer

Eduardo e Mônica fizeram natação, fotografia
Teatro e artesanato depois de se amarrar
A Mônica explicou pro Eduardo
Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar
Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer
E decidiu trabalhar
E ela se formou no mesmo mês
Em que ele passou no vestibular
E os dois comemoraram juntos
E também brigaram juntos, muitas vezes depois
E hoje o povo diz que ele corneia ela e vice-versa
Lá isso é vida a dois?

Reformaram uma casa uns dois anos atrás
Mais ou menos quando os gêmeos piraram
Detonaram grana e quebraram legal
Com uma barra dessas nunca contaram

Eduardo e Mônica mudaram de Brasília
Rolou desquite forte tá fazendo um tempão
De novo nas férias não vão viajar
Porque o filhinho do Eduardo
Virou crente, meu irmão

E quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?

Comentários

Postagens mais visitadas